Roteiro Turístico

Esta Freguesia dispõe de paisagens de beleza ímpar, como a Lagoa das Braças, a Praia de Quiaios e a Serra da Boa Viagem, locais para agradáveis momentos de lazer, descontracção e entretenimento. 
 
A Freguesia de Quiaios possui uma Fauna e Flora muito diversificada devido à existência de vários ecossistemas de natureza muito diferentes. Estes ecossistemas da Serra da Boa Viagem com as suas falésias calcárias e prados rupícolas, das Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas, das Lagoas dunares de Quiaios e dos recifes do Cabo Mondego atribuem à esta terra uma biodiversidade muito elevada que foi já demonstrada em 2 exposições fotográficas no âmbito do Ano da Biodiversidade de 2010
 
Existem aqui no limite ocidental do continente europeu, entre o oceano e o interior no litoral português atlântico, dunas litorais (móveis e arborizadas) com plantas endémicas da Península Ibérica ou mesmo de Portugal,  como p. ex. as camarinhas (Corema album) da Família dos Empetraceae.
 
O limite oriental da praia de Quiaios é formado por uma pequena serra, a Serra da Boa Viagem, com comunidades de plantas na transição florística entre espécies mediterrânicas e atlânticas. Nestas comunidades de plantas existem  orquídeas  preciosas e tufos de espécies raras ou mesmo endémicas em pradarias sobre terrenos calcários - bem adaptadas ao clima ventoso desta costa.
 
O Cabo Mondego, limite sul da Praia de Quiaios, possui na zona do litoral marinho recifes de grande valor ecológico e um jazigo de fósseis num sistema geológico do Jurássico médio e superior com características únicas.
A norte de Quiaios existe um extenso campo dunar que se estende até à região de Espinho, as  Dunas de Gândara, Mira e Gafanhas. Ao longo do campo dunar, é possível identificar depressões dunares sazonalmende inundadas. Na zona de transição entre dunas e campos aluviais encontra-se um cordão de pequenas lagoas (Braças, Vela, Salgueira e Texeiros) de uma grande beleza e riqueza ornitológica e botânica.
 
Toda esta região da freguesia de Quiaios convida para uma contemplação da Natureza em passeios, caminhadas e por exploração por bicicleta e outros meios de transporte.
Quem quizer explorar esta Natureza de Quiaios em caminhadas guiadas pode dirigir-se à Associação "Trilhos d'Esplendor" situada na Praia de Quiaios. Contacto: 
 
trilhos.esplendor@gmail.com.
 
Lagoa das Braças
Situada um pouco a norte da Figueira da Foz, a lagoas das Braças é rodeada por abundante vegetação emergente, albergam geralmente bons números de aves aquáticas, que se deixam observar relativamente bem. Destaca-se em particular a presença regular de diversas espécies de patos invernantes.
A lagoa das Braças (também conhecida por lagoa das Três Braças) e a que se situa mais a sul, encontrando-se envolvida por vegetação densa. O melhor local de observação situa-se do lado ocidental, onde existe um abrigo que permite ver a lagoa. O nivel de água na lagoa e muito variavel, podendo chegar a secar completamente quando a precipitação escasseia. Havendo água, observam-se geralmente alguns patos-reais. Entre as limícolas, as espécies mais frequentes são o abibe e o maçarico-bique-bique. Durante o Inverno, este é um local de ocorrência regular da garça-branca-grande.A vegetação que envolve a lagoa é geralmente frequentada por toutinegras-de-barrete-preto e pequenos bandos de chapins-rabilongos. Nos pinhais circundantes ocorrem o pica-pau-malhado-grande, o chapim-azul e o chapim-real.
Especialidades:
garça-branca-grande
Outras espécies:
mergulhão-pequeno, garça-boieira, garça-branca-pequena, garça-real, marrequinha, pato-real, pato-trombeteiro, zarro-comum, tartaranhão-ruivo-dos-pauis, peneireiro-vulgar, galinha-d’água, galeirão-comum, abibe, maçarico-bique-bique, guarda-rios, pica-pau-malhado-grande, petinha-dos-prados, rouxinol-bravo, toutinegra-de-barrete-preto, chapim-rabilongo, pega-rabuda, gralha-preta, bico-de-lacre
Raridades:
zarro-de-colar
 
Praia de Quiaios
Dunas, pinheiros-bravos e a Serra da Boa Viagem ali a dois passos, enquadram esta bonita praia da Figueira da Foz.
A Praia de Quiaios é um lugar onde vai querer passar um bom bocado. A qualidade da água, a extensão do areal e, em particular, o enquadramento da paisagem, fazem deste um local único para descobrir. Encostada à Serra da Boa Viagem, uma extensa zona verde de 400 hectares que é o pulmão da Figueira da Foz, rico em fauna e flora diversa. Aqui, respira-se não só o ar do mar mas também o da floresta, ali a dois passos.
A Praia de Quiaios está assim inserida num cenário de rara beleza, envolvida por uma paisagem que combina uma vasta vegetação com uma enorme extensão de areia branca e macia, onde se chega através de um passadiço de madeira. Nos dias de mar mais revolto pode sempre abrigar-se nas Piscinas de Quiaios, a funcionarem até 15 de setembro, entre as 10h00 e as 19h00.
A pouco mais de uma dezena de quilómetros da Figueira da Foz, o tamanho desta praia permite diversos ambientes distintos, já que aqui coexistem diferentes formas de desfrutar da beira-mar: a praia é apreciada por surfistas que aqui encontram condições adequadas à prática do seu desporto de eleição e também de naturistas que conseguem preservar a privacidade devido à grande extensão de areal.
Muito concorrida pela sua beleza e acessibilidades, a Praia de Quiaios, ostenta a Bandeira Azul, e oferece tem tudo o que precisa para passar um dia agradável em família: é vigiada, tem parque de estacionamento, balneários, aluguer de toldos, possui espreguiçadeiras e duches.
 
Serra da Boa Viagem
A Serra de Nossa Senhora da Boa Viagem situa-se a três quilómetros a Norte da cidade da Figueira da Foz com 261,88 metros de altitude, cota do vértice geodésico da Bandeira, na freguesia de Quiaios.
Cerca de 83% da sua área situa-se nas cotas dos 150 a 250 metros de altura.
O facto de esta elevação se encontrar junto do Oceano Atlântico, confere a esta, e a toda a zona envolvente, uma paisagem de singular beleza, de que se destaca o "Parque Natural da Serra da Boa Viagem" com um vasto património natural, arqueológico e paisagístico. No seu extremo ocidental situa-se o Cabo Mondego.
A sua vegetação é constituída por Pinheiro-Bravo, Cipreste-português, Tojo, Urze, entre outros.